LIVRO

livro-200pxEm 1994 Kristhel lança seu livro O Vôo de Uma Estrela, contendo 70 poemas.

DEPOIMENTOS

> “Kristhel: Se fosse possível repetir o que já te disse, você poderia ser qualificada, tão bela como uma fascinante pastora de almas.

A sua poesia é perfumada, fruto de uma sensibilidade muito pessoal – e muito especial. É o que demonstra o Vôo de Uma Estrela em que é possível perceber toda sua rica personalidade.

Que Deus continue a inspirar os seus passos em todos os sentidos.”

Arnaldo Niskier
Presidente da Academia de Letras

> Livro – Vôo de uma Estrela.

“O livro de poesias de Kristhel, Vôo de Uma Estrela, é um show de sensibilidade, sobretudo quando fala do amor, que é fonte inesgotável de sua inspiração. Poesia solta no estilo mais moderno, cheia de alma e de coração.

Em Sedução, quando diz: “Você fala com a pele, que não é sua nem dele. É de quem sabe tocá-la, explorar cada canto do seu corpo, já que o coração se esconde, na última curva, no último toque, no último gozo, no último jogo de amar”, Kristhel, sem querer, vai ao encontro daquela idéia que sempre difundi de que amor é pele.

A mesma estrela que brilhou no teatro, começa a brilhar na literatura, com talento e beleza.

Humberto Lucena
(in memorian)

foto_livro01> “Em Vôo de Uma Estrela, uma guerreira faceira “manda cuspir a poeira do tempo que te fez mal” entende a chuva que “molha e lava na precisão determinante do ato”, expõe as “nossas principais amarras e correntes desatadas há pouco tempo” por todas nós mulheres. Kristhel reflete “Querida, já foi o tempo das ninfas”, delata “teus sentimentos cabem todos num cálice de licor”, “fala com a pele… de quem sabe tocá-la”e nos conduz nas veias-versos símbolos da mulher-fêmea que engole esperma e brinca com os seios…”

“Vôo…” é amálgama de terra, água, ar e fogo, além de teorema de sonho que reflete os fatos… “É a realidade do fato no semblante do sonhador”, de caminho pelo sofisma das formigas e, por todos os cantos e entrelinhas, há uma entrega do prazer – mulher, da coragem-mulher, do perfume selvagem, da Imperatriz-mulher, da MULHER-MULHER.

Maria Helena Kropf

foto_livro02> “Ao virar a última página deste livro, fiquei com a impressão de ter lido o relato de alguém que acabou de passar a vida a limpo. A menina que, no imprevisível ‘descoberta do ser e seu talento’, se apresenta numa série de versos e longos períodos fortes e apaixonados, amadurece à medida em que as páginas vão passando. Entre o começo e o fim da estrada, a menina e a mulher falam apaixonadamente de espiritualidade e amor, mas principalmente do maior dos temas – a vida. Não há nenhuma palavra gratuita em seus versos. Por isso, mesmo quem não conhece Kristhel – e eu a conheço muito pouco – há de concordar: quem escreve com tamanha paixão, com tanto tesão pela vida, tem de ser, necessariamente, uma pessoa fascinante.

Cesar Tartaglia

> “Gente usa palavra para se mostrar ou para se esconder. Trata-se de um direito humano, como outro qualquer. Kristhel Byancco escolheu seu nome artístico para ser transparente e luminosa, como uma bacia de água limpa e como uma estrela. Cristal desde o berço, por ser Christina de batismo, ela busca a mesma nudez pagã na palavra ou na imagem. E o cristal é branco, no amplo sentido alvo, justo e plano. Por isso, submete a perfeição das formas anatômicas, de que é dotada, à imperfeição das formas linguísticas, seja a fotográfica, seja a semântica. Kristhel ousa, pois sabe estar o sal da vida, não na contemplação das formas perfeitas, mas no acabamento das formas incompletas. Deus a abençoe por ousar tanto!

José Nêumanne

> “Conheci a adolescente Kristhel, recém chegada de Vitória, deslumbrada com a maravilha que era o Rio de Janeiro do final dos anos 70.

Deslumbrada sim, mas com uma capacidade imensa de luta. Uma energia natural que fluía do olhar forte, do gesto livre, do corpo ágil. A menina do sorriso cativante tornou-se bela mulher e atriz sensível. Sem perder a naturalidade, a emotividade que transparece em cada gesto. A rara franqueza que é um verdadeiro tesouro para seus amigos.”

Roberto Barreira.

ALGUMAS POESIAS DE KRISTHEL BYANCCO

Livre
Você é livre,
pois em você a natureza não colocou barreira
se seu corpo é uma porta que não se bate
para entrar
porque a chave são seus olhos
só se entregam a quem sabe
te olhar e amar.

Sedução
Você fala com a pele,
que não é sua
nem dele
É de quem sabe tocá-la
explorar cada canto do seu corpo
já que o coração se esconde
na última curva
no último toque
no último gozo
no último jogo
de amar.

Determino os Fatos
Fatos traçados
no ato entregues
em minhas mãos.
Fatos que carrego
no exato momento
da precisão.
Vejo o sonho que reflete os fatos…
E a realidade do fato no semblante do sonhador

Solidão.

Para ser feliz
(quem sabe?)
é preciso ter a determinação dos fatos.
Consciência é paradoxo…

No momento exato em que vejo
a multidão
determino os fatos!

Real é somente o fato de existir.

Não me nego
Vim de um casino abandonado, onde
um dia me chamaram para um teste de escolha
de elenco
entre mais de mil pessoas.
Decidi que seria uma grande bailarina.
A ribalta me esperava,
refletores, palco brilhante,
efeitos especiais, luzes e plumas
como Las Vegas e Broadway.
Num intervalo entre um teste e outro me refugiei
num canto do teatro
exibindo sutilmente meu corpo alongado
para chamar a atenção do diretor.
Assim, olharia para mim.

A força do pensamento é infinita: o diretor
e o coreógrafo me chamaram ao palco.
A menina tímida e caipira ficou no canto
e a mulher, profissional, os enfrentou
com olhos atentos e verdadeiros.
Sentia-me a própria manequim de vitrine,
lágrimas quase caindo.

Ele me perguntou com um sorriso malicioso:
você dança?
Rapidamente: Danço.
O quê?
De tudo um pouco.
O meu corpo emana uma energia
que sai dele mesmo, de um lado ao outro.

Mais amadurecida, um ano depois,
quase terminando a Faculdade de Educação Física,
o curso de manequim, atuando em shows,
desfiles e pequenas participações em TV.

Brotará em mim
o equilibrio do querer
e uma beleza de dentro,
preciosa.
Erosão nenhuma, nem terremoto,
o que trago dentro de mim
nos meus olhos, nos meus cabelos,
no meu peito,
no meu corpo inteiro,
nada na terra destruirá.

Faço o que gostaria de fazer.
Mas não sei por que tem que existir
tanto sofrimento
para se obter o desejado.

Pressões de homens, olhares enganosos.

A mulher é marginalizada quando busca
independência do poder dos homens.
Mas, se somos seres superiores
na força divina e sublime
de maternidade,
por que tanta disputa?

Somos poderosas também
na capacidade intelectual,
mas para firmarmos nosso espaço,
precisamos ter paciência,
porque nossas principais amarras e correntes
estão desatadas há pouco tempo.

Teremos que nos dedicar, mais e mais,
para fazer crescer no respeito
e no poder,
mais além da fêmea,
o ser mulher.

Força da Palavra
O amor é o encontro que tudo espera
Todos os sentimentos
Sinto o Onipresente, que conduz o homem
Ao longo do caminho
Encontrar amor e paz
Acordar para seu interior
Gritar pelo amor
Sabendo que a vida não existe sem
Você, palavra
Linda e forte, capaz
De mudar a diretriz de uma vida
Sangrenta e cruel.

A Vida é uma Fofoca
Ei, pode ser.
Quando não se tem nada pra dizer
é preciso Ser
Sentir no momento exato de ser libertado
Viver enquanto uma estrela brilha no caminho
À noite, enquanto dorme
a imagem do homem conduz ao encontro
da vida alheia
Quero viver na confusão
da harmonia amorosa
Por isso digo palavras
sem expressão de sentimentos assim ou assado.
Apenas fofoca.

 

Paixão
Tá fazendo frio.
Você não me aquece
e ainda se aborrece
Quando falo de amor…
Nossa vida se passa nas batidas
do meu coração.
Nossa história se conta pelas cordas
do meu violão.
Seu amor de luxosuas flores artificiais
as mil e uma noites
dos seus papos sentimentais
Esse amor vadio
na escuridão
procura o carinho das minhas mãos
que deslizam como lágrimas
banhando de calor
meu sorriso fatal.

E a vida caminha
Sem saber.
Num corre-corre
Sem parar
Vida vadia buscando a razão
Sem saber ao certo
A direção
Mas certa do querer
Foge
Às vezes
Mesmo sem sentir
Não dá mais para segurar
As feras que há em mim!
Direta direção a voar
Na correnteza mais forte
Que o meu querer
Luz d’água na queda
Cachoeira
Brilhante estrela verdadeira…

Fascínio
Em tudo será belo
Com tudo terá da sapiência de uma deusa
Ou, quem sabe, várias deusas
Guarneço as emoções soberbas
de uma vã apaixonada
Conduzo permanências insensatas de uma vilã
E vivo à sombra de uma pura menina
Pois ela sabe trafegar no caminho da vida
Querida, já foi o tempo das ninfas
Pois elas só aprenderam a sorrir, mas não sabiam
que o teu sorriso era a arma mais bela
e mais cruel da tua jornada.
Poeta, em tudo tem sua poesia contagiante,
congênita
e fugaz.
Bela princesa de olhos vermelhos.
Vermelhos como sangue, como vulcão dilascerado,
a forma real de seres humanos
Mortíferos são seus olhares ardentes
Poderosas e levianas são as suas ânsias
e trepidantes são os seus vacilos
amargas e mortais são suas lágrimas.

Eu não. Por que não?
Sinto-me só
Bastam-me alguns números
e um telefone
para temperar minha solidão
Meu pensamento vaga em busca de uma solução
Viajo permutando a minha dimensão
(que será,
se eu transcrever a sua opinião?)
Desilusão?
Vontade?
Persuasão?
Não sei…
Por que não?
Vou…
Faço?
A razão prescreve a minha decisão
Borrão,
apago a minha solução
Será medo…
Medo da palavra
ou do palavão que dizem: Não.

No tempo do verbo
Amanheça e diga: sou feliz!
Proclame bênçãos sobre você!
Nunca conjugue o verbo, não posso!
Dedique pelo menos alguns minutos a DEUS!
Sempre se sinta bonita ou bonito!
Não exija demais de você e coloque o seu próprio acusador num local que o perca, para nunca mais achar!
Tenha uma certeza: você é insubstituível para o SENHOR
Ligue agora e peça perdão!
Abrace quem está ao seu lado e diga que a(o) ama!
Crie um novo roteiro para sua vida!
Não se sinta perdedor ou perdedora, jamais!
Diga: tudo é possível, basta crer!
Faça uma campanha. Limpe as gavetas sujas e retire: rancor, raiva, ira, medos, inveja,
irritação, hipocrisia, falta de educação, injustiça, ambição, cobiça, culpa, egoísmo, preguiça, ressentimentos, soberba, tristeza, palavrões, insegurança, maldade, histeria, leviandade e ansiedade.
Imagine-se, o quanto leve você ficou. Agora, pare tudo e por alguns instantes sozinha ou sozinho, use o
tempo correto do verbo e em todas as suas variações guarde-os no seu coração: eu sou feliz; tu serás feliz; ele será feliz; nós somos felizes; vós sois felizes; eles, todos serão completamente felizes!
Sonde o seu coração e compreenda que nele tem muito mais espaço para as coisas boas e que começando
por cada um de nós, o mundo inteiro pode mudar. E aí, vamos começar uma semana bem feliz?
É só conjugar o verbo no tempo certo. Você também vai conseguir…

Bar Solitário
O bar, vazio,
sempre repleto de pessoas em busca
de uma presa para agarrar
no único sentimento:
o amor primeira mão, para não dizer tesão.
Bebendo e fumando
ansiosa, cá estou eu.
Quem será o primeiro a chegar?
Um belo lugar é sempre misterioso
quando não tem
ninguém
e a impotência surge às vezes em força de
ostensivo medo.
O lugar tem quatro cantos mas parece infinito
porque aqui já transitaram milhões de sentimentos
materializados em seres humanos.
Quero apenas afogar sentimentos e mágoas
que não sei definir.
Na minha casa é lindo estar só.
Mas aqui é horrivel.
A cada momento conheço
neste lugar onde não há barreiras
para que a vida se busque
na solidão dos outros.
Bar solitário,
as tuas luzes não brilham como gostariam
meus olhos ansiosos
e teus sentimentos cabem todos nun cálice
de licor.

Grande bobagem
É tudo lindo
É tudo bom
mas não condiz com meu amor.
Vai! vai-se indo pegar
mas não agarra.
Pois à força é tudo bobagem.
Grande
é uma grande bobagem.